Hello!

Se você está buscando dicas para aprender inglês e melhorar seus estudos, muito provavelmente já se deparou com pessoas falando sobre aprender o idioma através de músicas. Essa dica, apesar de valiosa, pode ser muito vaga e um pouco difícil de colocar em prática, afinal, como aprender através das músicas? Será que é preciso traduzir a letra para decorar o que cada palavra quer dizer? Ou apenas ouvir uma música várias vezes irá te ajudar a se comunicar melhor? Pois bem, neste post vamos te dar algumas dicas que podem te guiar melhor na hora de usar a música como ferramenta para o seu aprendizado.

Primeiro, é importante saber que, assim como precisamos ouvir uma música diversas vezes até conseguirmos cantá-la naturalmente sem errarmos a letra, também é preciso rever um conteúdo novo e praticá-lo diversas vezes para conseguirmos usá-lo com naturalidade ao nos comunicarmos em inglês, por isso é importante anotar um vocabulário novo para poder revisar e praticar. Pensando nisso, a inFlux desenvolveu o app gratuito do Lexical Notebookonde você pode anotar os novos chunks que aprender, criar seus próprios exemplos e ainda praticar com recursos como quizzes e flashcards gerados automaticamente pelo app. Então, lembre-se de usá-lo em seus momentos de estudo!

O primeiro ponto que muitas pessoas erram quando querem aprender inglês com uma música é traduzi-la palavra por palavra para entender o que ela quer dizer. Na grande maioria das vezes, não podemos confiar na tradução literal de um idioma para o outro, isso acontece porque em boa parte dos casos, não podemos usar exatamente as mesmas palavras em português para dizer algo em inglês nem vice e versa, mas, o que podemos (e devemos) fazer, é encontrar a equivalência de um idioma no outro. Para o que quisermos dizer em português existe uma equivalência em inglês e outros idiomas. Ao trabalharmos com as equivalências não corremos risco de falarmos algo que não faz sentido ou de entender algo completamente diferente do que a pessoa quis dizer. Para isso, precisamos trabalhar com os chunks. Os chunks são as combinações de palavras mais comuns utilizadas por nativos do idioma. E na hora de se comunicar, usamos os chunks, essas combinações de palavras que frequentemente andam juntas. Então, ao invés de traduzir palavra por palavra, ao tentarmos entender a letra de uma música iremos traduzir chunk por chunk ou seja, vamos pegar o chunk em inglês, usado na música e ver qual seria o seu chunk equivalente em português para entender o que o cantor quis dizer. Veja esse exemplo no trecho da música Save your tears do The Weeknd:

I don’t know why I run away

I make you cry when I run away

Veja que, se traduzíssemos esse verso ao pé da letra teríamos algo como

eu não sei por que eu corro longe” 

“eu faço você chorar quando eu corro longe”

Mas isso não faz sentido nenhum em português, não é? Agora, veja a equivalência desse trecho:

I don’t know why I run away Eu não sei por que eu fujo

I make you cry when I run away Eu te faço chorar quando eu fujo

Agora sim sabemos o que ele quis dizer, e ainda aprendemos algumas combinações muito usadas que podemos praticar e implementar no nosso vocabulário. Essa é outra dica importante, ao aprender novas combinações nas músicas tente implementá-las em outras frases, se possível em situações que você usaria com frequência no seu dia a dia, por exemplo, nesse trecho aprendemos que I don’t know why significa Eu não sei por que agora é só completar a frase e montar outros exemplos com essa combinação, veja:

I don’t know why he did it. Eu não sei por que ele fez isso.

I don’t know why I bought this. Eu não sei por que eu comprei isso.

I don’t know why you would say that. Eu não sei por que você diria isso.

Podemos fazer o mesmo exercício com run away que aprendemos que a equivalência é fugir, olha só:

You can’t run away from this. Você não pode fugir disso.

Sometimes I want to run awayÀs vezes eu quero fugir.

My dog tried to run away this morning. Meu cachorro tentou fugir hoje de manhã. 

Outra dica muito importante para quando você estiver estudando a letra de uma música é identificar os chunks fixos e semi-fixos usados na música. Chunks fixos são combinações que serão usadas sempre da mesma forma, como “how are you?” por exemplo. Sempre que você quiser dizer “Como você está? / Tudo bem?” você já sabe que pode usar “how are you?” sem precisar pensar palavra por palavra para conseguir se comunicar. Já os chunk semi-fixos possuem uma parte fixa, que será sempre a mesma, enquanto a outra pode ser substituída formando combinações diferentes. Ao entender como um chunk semi-fixo funciona e suas possíveis substituições você amplia o seu vocabulário de maneira muito significativa e efetiva. Vamos ver outro trecho da música Save your tears:

You could've asked me why I broke your heart

You could've told me that you fell apart

Aqui encontramos o seguinte chunk semi-fixo:

you could have… / you could’ve… você poderia ter…

No mesmo trecho ele faz duas combinações diferentes dentro do chunk:

You could’ve asked me why I broke your heart  Você poderia ter me perguntado por que eu parti seu coração

You could’ve told me that you fell apart Você poderia ter me dito que você desmoronou

Agora você pode experimentar com outras substituições que podem ser feitas dentro do chunk criando seus próprios exemplos, lembre-se de sempre pensar em exemplos que sejam significativos para você, situações em que você realmente usaria esse chunk. Vamos ver alguns exemplos:

You could’ve told me the truthVocê poderia ter me dito a verdade.

You could’ve gone with meVocê poderia ter ido comigo.

You could’ve waited a littleVocê poderia ter esperado um pouco.

Aqui, tem ainda mais uma substituição que podemos fazer, se você quiser dizer Eu poderia ter... / Ela poderia ter... etc. você pode substituir o you por I, she ou outras pessoas, olha só:

I could’ve helped youEu poderia ter te ajudado.

She could’ve come with us. Ela poderia ter vindo com a gente.

He could’ve studied a little more. Ele poderia ter estudado um pouquinho mais.

Viu só? Entendendo melhor o chunk usado na música você já consegue formar diversas outras frases, aumentando significativamente o seu vocabulário. Basta anotar tudo e praticar com frequência para conseguir usar tranquilamente no seu dia a dia. E, falando em praticar, não podemos deixar de mencionar outra característica pertinente na qual a música pode te ajudar: a pronúncia. Com a música podemos treinar não só a pronúncia em diferentes sotaques, mas principalmente o connected speech usado no idioma. Connected speech é o nome dado as junções de som entre uma palavra e outra que acontecem naturalmente na língua falada. Eles são essenciais para tornar a nossa fala mais fluida e natural, assim como a de um nativo do idioma. Mas não confunda, connected speech não tem a ver com falar rápido e sim com sons de palavras que, quando combinados, acabam soando um pouco diferente, observe alguns trechos da música Lovely da Billie Eilish, note que deixamos sublinhado em qual o connect speech acontece:

Thought I found a way 

Oh, I hope some day I'll make it out of here

Need a place to hide, but I can't find one near

Perceba como mesmo cantando lentamente o connected speech acontece, isso mostra o quanto ele é essencial para tornar a nossa pronúncia mais orgânica. Ao nos acostumarmos com essa característica do idioma aumentamos a nossa compreensão auditiva, melhoramos a nossa pronúncia e até mesmo a nossa leitura então, quando encontrar partes com connected speech em uma música, coloque-o em prática cantando junto e também falando aquela frase naturalmente, sem o ritmo da música. Uma prática muito legal é gravar a sua pronúncia e comparar com a do cantor, assim você consegue perceber onde está acertando e onde pode mudar. Veja como os trechos acima seriam ditos de maneira natural, sem o ritmo da música, mas mantendo a pronúncia correta:

Thought I found a way Achei que tinha encontrado uma alternativa

Oh, I hope some day I'll make it out of here Oh, eu espero que um dia eu consiga sair daqui

Need a place to hide, but I can't find one near Preciso de um esconderijo, mas não consigo encontrar um por perto

Seguindo esses passos, a música se tornará uma ferramenta de apoio muito poderosa nos seus estudos, além de ser divertida! Mas, há ainda um aspecto muito comum nas músicas que não podemos deixar de mencionar. Por usar linguagem do dia a dia muitas vezes as músicas podem conter erros gramaticais, por mais que muitos deles sejam comuns na língua falada em contextos informais, como “é nois” usado frequentemente em português, o melhor a se fazer é entender o que o cantor quis dizer e aprender também a maneira gramaticalmente correta de dizer aquilo. Veja esses dois trechos da música Congratulations do rapper Post Malone:

They said I wouldn't be nothing

They was never friendly, yeah

No primeiro trecho temos um erro gramatical usado com muita frequência em músicas e no inglês informal que chamamos de double negative ou seja, duas negações na mesma frase, embora seja uma característica bem comum no uso do dia a dia da língua, ela é considerada errada pela gramática normativa, veja como ficaria da forma gramaticalmente correta:

They said I would be nothing / They said I wouldn’t be anything Eles disseram que eu não seria nada/ninguém

Já no segundo trecho temos algo menos comum, mas que também pode ser encontrado em várias músicas: o uso errado do verbo to be. Este é um erro mais fácil de perceber, por ser um vocabulário que usamos com muita frequência ele causa estranhamento quase que imediatamente ao ouvirmos, a maneira correta seria:

They were never friendly, yeah Eles nunca eram amigáveis, yeah

É importante entendermos que, como a música é uma expressão artística, os músicos têm certa licença poética para cometer erros como esses, muitas vezes para soar mais melódico ou encaixar melhor com o ritmo da música, e, embora muitos desses erros sejam frequentemente usados na língua falada, é importante também saber como dizer essas coisas da maneira gramaticalmente correta.

Agora sim, você está pronto para escolher aquela música que não sai da sua playlist e começar a botar em prática o que aprendeu aqui. Então, não se esqueça, após escolher uma música bem legal, siga essas dicas:

Traduzir sempre chunk por chunk;

Identificar os chunks fixos e semi-fixos na música e criar exemplos com eles, criando frases que você realmente diria no seu dia a dia;

Prestar atenção no connected speech na música e treinar gravando a sua própria voz para comparar com a pronúncia do cantor;

Ao identificar erros gramaticais nas músicas, aprender também a forma gramaticalmente correta.

Seu momento de estudo será muito mais efetivo e sem perder a diversão e leveza de quando estudamos com músicas. Legal, né?

E não pare por aqui, que tal aprender um pouco mais sobre a música Save your tears do The Weeknd que mencionamos aqui? Ou ainda, aprender o que significa o título do novo album da Billie Elishi, Happer than ever.

Ficou alguma dúvida? Manda pra gente!

See you later, music lovers!